A carregar Todos os Eventos

« All Events

  • Este evento já decorreu.

Autor do Mês de Julho

Junho 1 @ 9:00 - Junho 30 @ 17:30

Natércia Reis Raimundo

Natércia Reis Raimundo nasceu a 7 de julho de 1930, na aldeia de Naves, concelho de Almeida, tendo vivido toda a sua vida neste concelho.

Aos 6 anos, ficou sem pai, sendo obrigada a começar a trabalhar aos 11. As suas horas vagas na infância eram dedicadas à leitura, a qualquer livro que pudesse ler. Assim, sob impulsos autodidatas, foi estudando e fazendo a escolaridade liceal.

Aos 19 anos, entrou para a docência como regente escolar, atividade que desempenhou durante 22 anos. O seu trabalho exemplar e a dedicação que sempre manifestou foram reconhecidos através de um louvor que lhe foi concedido pela Direção Escolar a que pertencia.

O seu grande sonho profissional era tirar o Curso do Magistério Primário, mas, depois de fazer o 5.º ano liceal e de estar muito próxima de ver a sua aspiração concretizada, a doença da sua mãe (12 longos anos cega) obrigou-a a abdicar do seu grande sonho. Teve, assim, de deixar a docência e acabou por se dedicar à carreira administrativa da qual se reformou aos 63 anos de idade e 42 de serviço.

Cedo se dedicou à poesia. Nascida e criada num meio rural, a par das mais diversas imposições profissionais, sempre dedicou as suas horas livres aos trabalhos do campo e, paralelamente, a escrever poesia.

Também aqui o seu autodidatismo é importante. Quase que se poderia dizer que esta grande senhora pensa em verso. De facto, usa como mestria a rima, a estrofe, a redondilha, mostrando-nos, através de uma arte aparentemente simples, os valores e os sentimentos cheios de nobreza de uma mulher bucólica, que consegue, no meio das mil e uma ocupações, uma pausa poética que lhe permite a plenitude.

Segundo Deolinda Monteiro, a sua poesia está carregada «de sentimentos nobres e profundos, de experiências, de vida, da sua alma e da alma de uma comunidade pequenina…» (RAIMUNDO, Natércia Reis – Memórias da minh’aldeia, p. 7). Acrescenta, ainda, que a poesia de Natércia Reis Raimundo gera «instantes poéticos de grande beleza» (Idem – Ibidem, p. 8), «os seus versos vão surgindo, um a um, estrofe a estrofe, edificando uma grande fortaleza feita do verbo poético, que não mais silenciará. A origem desta enorme fortaleza não é apenas documental mas afetiva, duma afetividade consciente, sensata, crítica, independente e, como tal, talvez perene, porque não?! Natércia Reis Raimundo, fiel ao “despotismo” de uma rima de versos heptassilábicos que espelha o seu próprio desenvolvimento mental, oferece-nos imagens cheias de poesia em que os seus sentidos e perceções estão presentes» (RAIMUNDO, Natércia Reis – Escutando as pedras, p. 9-10).

Podemos também dizer que Natércia Reis Raimundo é uma guardadora da memória coletiva, uma vez que através da sua poesia registou e partilhou lendas, “estórias”, costumes e tradições. Como a própria refere, o dom da poesia: «Foi condão que Deus me deu/E me legou ao nascer;/Por isso eu lh’estou grata/Estarei até morrer!/Pobre semente dourada!/Em terra fraca caiu!/E por falta de cultura/Ela nunca produziu!»

 

Mas afinal de contas, a semente produziu e produziu bastante…, como testemunham os vários livros publicados da autora:

O que a minh’alma sente. Almeida: ed. autora, 1993

A roda e os expostos. Almeida: ed. autora, 1994. Brochura em poesia.

Os martírios de Jesus. [Almeida: ed. autora, 1995]. Recolha de orações na região de Riba Côa.

Angola. Estremoz: ed. autora, 1995

Escutando as pedras. Almeida: ed. autora, 1996. A história da praça-forte de Almeida em poesia.

Memórias da minh’aldeia. Naves: ed. autora, 1997.

A rainha da Marofa e as suas aias. Figueira de Castelo Rodrigo: Câmara Municipal, 2001.

Memórias de Castelo Bom. Castelo Bom: Câmara Municipal de Almeida e Junta de Freguesia de Castelo Bom, 2008.

A autora escreveu, também, para o público infantil:

As 323 adivinhas mais famosas. Sintra: Girassol, [s.d.]

A ecologia – poesia. Sintra: Girassol, 1994

12 contos – prosa e poesia. Sintra: Girassol, 1994

Poemas de Natal. Sintra: Girassol, 1995

 

Detalhes

Início:
Junho 1 @ 9:00
Fim:
Junho 30 @ 17:30
Categoria de Evento:

Local

Biblioteca Municipal Maria Natércia Ruivo
Rua Conselheiro Hitze Ribeiro 8
Almeida, 6350-125 Portugal
+ Mapa do Google