A carregar Todos os Eventos

« All Events

Autor do mês de dezembro

Dezembro 1 @ 9:00 - Dezembro 31 @ 17:30

Adriano Vasco da Fonseca Rodrigues nasceu na Guarda, a 4 de maio de 1928, mas foi criado em Longroiva (Mêda), tendo origens maternas ligadas a Almeida.

Licenciou-se em Ciências Históricas e Filosóficas na Universidade de Coimbra, onde também se diplomou em Ciências Pedagógicas, profissionalizando-se com estágio e exame de estado para a docência no Ensino Liceal: História e Filosofia. Especializou-se em História da Arte (Medieval) na Universidade de Santiago de Compostela, como bolseiro da mesma, e em Pré-História na Universidade de Bona (Alemanha), como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.

Trabalhou em Angola na área da Educação, como Inspetor Provincial Adjunto do Ensino, entre 1965 e 1969, onde desenvolveu um projeto de formação de docentes (dos ensinos Básico e Secundário), baseado na dignificação da pessoa e na construção de uma sociedade mais justa e solidária. Trabalhou, também, a tempo parcial no Instituto de Investigação Científica, no departamento de Pré-História.

Foi reitor do Liceu piloto Garcia de Orta, no Porto, e Diretor-geral do Ensino Particular e Cooperativo, no Ministério da Educação. Entre 1981 e 1988, ocupou o lugar de Presidente da Associação para a Defesa das Democracias e, por concurso internacional exerceu, entre 1988 e 1996, o disputado cargo de Diretor da Schola Europaea, da União Europeia, situada na Bélgica. Exerceu a docência no Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Porto, regendo a cadeira de Arqueologia Peninsular. Foi professor associado na Universidade Livre e vinculado à Universidade Portucalense.

Ocupou, ainda, os cargos de Vereador da Câmara Municipal do Porto, onde foi Presidente da Comissão de Arte e Arqueologia, de Deputado da Assembleia da República (1976-1983), de Governador Civil do Distrito da Guarda (1982-1983) e de Vice-presidente e Presidente interino do Conselho Nacional de Alfabetização (1979-1988).

Enquanto Deputado da Assembleia da República, foi eleito representante de Portugal para a Assembleia do Atlântico Norte (1981-1983). Neste contexto, mais propriamente na qualidade de membro da Comissão de Educação e Relator da Subcomissão dos Direitos Humanos para a Livre Circulação de Pessoas e Informações, trabalhou em favor do respeito pelas minorias na Polónia e na Rússia, integrando também a task force que pretendia o regresso à democracia na Turquia.

Deste modo, tanto na sua vida pessoal, profissional e de atividade política são evidentes os seus ideais humanistas e humanitários, bem como de defesa dos valores democráticos e de combate às discriminações sociais. Além disso, muito contribuiu para a afirmação e valorização da Cultura Portuguesa: «A cultura, que em Adriano Vasco Rodrigues se enraíza num humanismo universalista, compatibiliza-se com a modelar cidadania activa que o tem acompanhado ao longo de toda a sua vida. O reconhecimento desta vasta e rica acção é testemunhado pela atribuição das inúmeras condecorações e louvores» (Adília Fernandes). Em 1994, foi distinguido com a Medalha de Ouro na cidade do Porto e, em 1996, foi feito Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, pelo Presidente da República Jorge Sampaio.

Autor de várias monografias e de vários outros livros na área da Arqueologia e História, podendo ser lidas e consultadas na Biblioteca Municipal Maria Natércia Ruivo as seguintes obras: A família de Winter e a fuga aos nazis: a ajuda do cônsul Aristides de Sousa Mendes (2015); A fortificação das fronteiras na estratégia da expansão portuguesa (2012); 60 peças da colecção de arte primitiva (2011); Almeida: da pré-história aos nossos dias: memórias (2010); Salvador Nascimento: uma vida, um ideal (2005); Terras da Mêda: natureza, cultura e património (2.ª ed. 2002; 1.ª ed. 1983); Os lusitanos: mito e realidade (1998); Celorico da Beira e Linhares: monografia histórica e artística (2.ª ed. 1992; 1.ª ed. 1979); Monografia artística da Guarda (1984). Em co-autoria com a esposa Maria da Assunção Carqueja Rodrigues, escreveu: Gente de nação: além e aquém do Côa (judeus sefarditas) (2013) e Felgar (2006). No livro Documentos medievais de Torre de Moncorvo (2007), de Maria da Assunção Carqueja Rodrigues, também consta o Estudo do Tríptico Flamengo da Igreja de Torre de Moncorvo de Adriano Vasco Rodrigues.

Em co-autoria com outros autores:

SARAIVA, António (coord.) – Judeus, judiarias e cristãos-novos na Beira Interior. Guarda: Agência para a Promoção da Guarda, 2014.

JÚNIOR, António de Sousa; RODRIGUES, Manuel A. Ribeiro; RODRIGUES, Adriano Vasco – As terras da beira nas invasões francesas. Almeida: Câmara Municipal, 2006.

Obras que prefaciou ou posfaciou:

NORAS, José Miguel Correia – Sobre os sistemas monetários portugueses e o “dinheiro de emergência” de Almeida. Almeida: Câmara Municipal, 2015.

CAMPOS, João – O castelo de D. Dinis e a fronteira de Portugal: Almeida: Câmara Municipal, 2013.

CAMPOS, João – Almeida: três pontas notáveis numa estrela singular. Almeida: Câmara Municipal, 2010.

Património musical de Riba-Côa. Lisboa: ed. autor, 1999.

Detalhes

Início:
Dezembro 1 @ 9:00
Fim:
Dezembro 31 @ 17:30
Categoria de Evento:

Local

Biblioteca Municipal Maria Natércia Ruivo
Rua Conselheiro Hitze Ribeiro 8
Almeida, 6350-125 Portugal
+ Mapa do Google