Transportes Escolares do Concelho de Almeida

Os Transportes Escolares do Concelho de Almeida para o ano letivo de 2021/22, procuram atender às especificidades do território, à demografia escolar e, sobretudo, à necessidade de potenciar mecanismos de promoção de igualdade, no acesso ao ensino, para todos, atendendo ao cumprimento das normas de segurança relativas ao transporte de crianças/alunos, previstos na legislação em vigor.

Seminário Online sobre Segurança na Internet das Coisas

No âmbito do projeto “Smart Comunidade Rural Digital”, apoiado pelo programa INTERREG, o Município de Almeida irá realizar na próxima sexta-feira, dia 17 de setembro, pelas 10 horas um webinar subordinado ao tema a Segurança na Internet das Coisas (IoT) dinamizado pelo Professor Pedro R. M. Inácio da Universidade da Beira Interior (UBI) e responsável pelo projeto SecurIOTesign.
Inscrições através do no link https://forms.gle/oYwNoxJQLpJtwqVy9

Abertura – Piscinas Municipais

Época 2021/2022

Intervenção Artística “Moments to the lost Words (Momento às Palavras Perdidas) – Memorial aos Refugiados e ao Cônsul a Aristides de Sousa Mendes

O Memorial aos refugiados e ao cônsul Aristides de Sousa Mendes promoveu, de 10 a 12 de setembro, o projeto Moments to the lost Words (Momento às palavras perdidas) da autoria de Adélia Santos Costa.

O objetivo deste projeto passou pelo convite a todos aqueles que visitaram o Memorial Vilar Formoso Fronteira da Paz a prestarem alguns minutos de homenagem às vítimas do Holocausto através de uma escrita simbólica, que depois foi colocada em garrafas de vidro, relembrando as palavras que se perderam e que, apesar disso, não devem ser esquecidas.

Os testemunhos a que temos hoje acesso e que fazem parte do Memorial Fronteira da Paz, são testemunhos que conhecemos porque de alguma forma vieram a público. Seja através da investigação e entrevistas, ou através de sobreviventes que ainda hoje continuam a contar a sua história, estes são testemunhos que sobreviveram a um dos períodos mais negros da nossa História – a II Guerra Mundial e Holocausto – e que hoje fazem parte das nossas vidas.

Contudo, questiona-se: como falar de todas as outras histórias, testemunhos e palavras perdidas para sempre? Porque não as conhecemos, quererá́ isto dizer que as mesmas não deverão ser relembradas? Como dizer as palavras que se perderam para sempre? Como as escrever, marcar, sinalizar?

Em Monument to the lost words existe a declaração de que as palavras que não tiveram a oportunidade de serem faladas, ouvidas e escritas não são por isso menores do que aquelas que o foram.

 

Gravação do vídeo clip “Amor a Portugal”

Ontem, dia 9 de setembro, o polo museológico Vilar Formoso Fronteira da Paz- Memorial ao Refugiados e ao Cônsul Aristides de Sousa Mendes, recebeu a intérprete musical, Íris Campos, para gravação de um vídeo clip “Amor a Portugal” da cantora Dulce Pontes, no qual resulta também um vídeo em homenagem a Aristides de Sousa Mendes.
Esta iniciativa visa sensibilizar os mais jovens para causas humanitárias, como a dos refugiados, que devido a conflitos armados e/ou políticos, se veem forçados a abandonar os seus locais de origem e a procurar asilo.

Almeida na Rota da Guerra Peninsular

Artigo Turismo Militar “Almeida na Rota da Guerra Peninsular”

Asta – Pinturas em Azulejos

Para identificação dos cavalos do Picadeiro D’el Rey, o Município de Almeida solicitou à ASTA Terapêutica de Almeida a elaboração de painéis de azulejos com o retrato da cada animal, produzidos pelos próprios Companheiros desta instituição.

Aqui fica o registo em vídeo de todas as etapas do processo para a conclusão deste trabalho.

Os azulejos poderão ser visualizados no Picadeiro D’el Rey a partir do dia 3 de outubro.

 

A Câmara Municipal de Almeida e o Agrupamento de Escolas de Almeida Celebram Novo Protocolo

A Câmara Municipal de Almeida e o Agrupamento de Escolas de Almeida celebram novo protocolo de colaboração para a prática de equitação em âmbito escolar.

No passado ano letivo estavam abrangidos os alunos do 3° e 4° ano de escolaridade, este novo protocolo possibilita a prática de equitação – “Iniciação à Equitação”, a todos os alunos do 1° Ciclo deste Agrupamento de Escolas, decorrendo quinzenalmente no Picadeiro D’el Rey.

Este protocolo complementa a oferta Educativa do Agrupamento de Escolas de Almeida e dá continuidade ao trabalho desenvolvido por este município na promoção e valorização da prática de equitação, reforçando a disponibilidade de serviço do picadeiro municipal e assegurando o transporte gratuito para esta atividade.

 

Colaboração Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

Campanha de Segurança Rodoviária “Cinto-me vivo”, inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2021, promovida pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública.

Inauguração do Largo Eduardo Lourenço

Inauguração do Largo Eduardo Lourenço, inserido nas atividades da Caravana Literária – Homenagem a Eduardo Lourenço, realizada no dia 4 de setembro, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Almeida António José Monteiro Machado, Vice-presidente José Alberto Morgado, Vereador Alcino Morgado, Vice-presidente da Câmara Municipal da Guarda Vítor Amaral, entre outros ilustres Amigos e Família do Homenageado.

Primeira edição da Caravana Literária

A primeira edição da Caravana Literária – Homenagem a Eduardo Lourenço, que percorreu Guarda – Almeida – Foz Côa, nos dias 3, 4 e 5 de setembro, chegou ao fim, encerrando três dias dedicados à Literatura e ao Pensamento.
Aqui ficam alguns momentos da viagem do passado sábado – 4 de setembro, em Almeida.
Obrigado a todos os que celebraram em Caravana connosco.
Saiba mais em caravanaliteraria.com

Convocatórias Dia da Defesa Nacional

No seguimento da receção de Convocatórias por parte de jovens do Concelho de Almeida para presença no Dia da Defesa Nacional, e conforme informação constante no site do Balcão Único da Defesa – https://bud.gov.pt/, informa-se que, conforme indicado nos Editais, o transporte (autocarro) assegurado pelo Ministério da Defesa Nacional, sairá de Almeida para Viseu na próxima quarta-feira, dia 08 de setembro, às 06h45, na Rua do Forte da Conceição, junto ao edifício do posto da GNR de Almeida.

Comboio “Connecting Europe Express” em Vilar Formoso assinalando a transição da marcha de Portugal para território Espanhol!

Trata-se de uma iniciativa da Comissão Europeia que se enquadra no “Ano Europeu do Transporte Ferroviário 2021”. Este comboio partiu de Lisboa no dia 2 de setembro, e vai percorrer a Europa em nome da sustentabilidade, atravessando 26 países em 36 dias, terminando a sua viagem em Paris a 7 de outubro, num total de 20.000 quilómetros percorridos.
Nesta paragem simbólica na Estação de Caminhos de Ferro de Vilar Formoso, foram recebidos pelo Presidente da Câmara Municipal de Almeida, António José Monteiro Machado, e pelo representante da Junta de Freguesia de Vilar Formoso, Acácio Alves, o Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, o presidente da IP, António Laranjo, o Comissário Europeu, Herald Ruijters, Diretor-Geral Adjunto responsável pela Coordenação da Direção B – Investment, Innovative & Sustainable Transport in DG Mobility and Transport, o Carlo Secchi, Coordenador do Corredor Atlântico, e Pedro M. Lekuona García, Director de la Agencia Estatal de Seguridad Ferroviaria de Espanha.
O objetivo da Comissão Europeia é demonstrar – em tempo real – o poder da ferrovia para ligar pessoas e empresas e para tornar os transportes mais sustentáveis e descarbonizados, num continente que se quer neutro em carbono em 2050.

Primeiro dia de setembro!

Partilhamos neste dia de início do mês, o calendário desenvolvido com o especial contributo da ASTA Terapêutica de Almeida!
Conheça este calendário, e faça o seu download, em www.picadeirodelrey.pt .

Bolsas de Estudo – Mais de uma década a apoiar os Estudantes do Ensino Superior do Concelho de Almeida!

A presente medida visa a atribuição de apoios económicos a estudantes do ensino superior, matriculados em cursos com reconhecimento do Ministério da Educação, mediante requisitos constantes no Regulamento de Atribuição de Bolsas.
Bolsas1candidaturaverso2021

 

Bolsasrenovafrente2021

 

Bolsasrenovaçaoverso2021

 

Skm C250i21090110321 0001

 

Skm C250i21090110321 0002

 

Skm C250i21090110321 0003

 

Projeto GEFRECON – Plano-Piloto na Região da Beira Interior

A ENERAREA – Agência Regional de Energia e Ambiente do Interior, em colaboração com a RNAE – Associação das Agências de Energia e Ambiente (Rede Nacional), através do “Projeto GEFRECON – Plano-Piloto na Região da Beira Interior”, entregou aos municípios afetos à Associação de Municípios da Cova Beira, entre os quais o Município de Almeida, diversos equipamentos de maquinaria florestal para uma Gestão Florestal Conjunta de Prevenção de Incêndios.
A cada município, foi entregue o seguinte material:
– 1 motosserra HUSQVARNA 545 MARK II,
– 1 Roçadora HUSQVARNA 545RXT.
Sendo ainda entregues, por parte da ENERAREA, os seguintes equipamentos:
– 3 Ancinhos separadores,
– 3 Enxadas portuguesas 2,5,
– 3 Pás bico.
Burst

 

2. Almeida

 

15.ª Volta a Portugal de Juniores

António Morgado pulveriza a concorrência e vence a Volta a Portugal de Juniores.
António Morgado (Bairrada) não deu hipótese aos adversários e conquistou a vitória na primeira etapa da 15.ª Volta a Portugal de Juniores, decorrida na sua totalidade no Concelho de Almeida. O segundo e terceiro lugares ficaram para Gonçalo Tavares (Bairrada) e Lucas Lopes (Póvoa de Varzim/CDC Navais), que formavam o grupo perseguidor. A primeira etapa da Volta a Portugal de Juniores teve partida e chegada em Almeida, com um percurso de 92,6 quilómetros, realizados sobre temperaturas elevadas.
A última etapa da Volta a Portugal de Juniores, considerada a etapa rainha da prova, ligou Celorico da Beira à Guarda, num percurso de 110,9 quilómetros, com dois prémios de montanha de primeira e segunda categoria.
“Esta foi uma vitória muito especial, visto que era a etapa rainha. Era um objetivo que tinha, até porque estive muito perto de ganhar em outras duas ocasiões. A camisola amarela estava controlada e, por isso mesmo, tive a liberdade de poder tentar vencer a etapa. É muito gratificante, temos uma equipa forte e viemos aqui para isto. Com tudo o que conquistámos nestes dias só temos de estar contentes com o nosso trabalho”, afirmou Gonçalo Tavares.
O pódio da geral individual compôs-se com os mesmos três corredores, com António Morgado a sagrar-se vencedor da Volta a Portugal de Juniores, com 1m29s de vantagem sobre o seu colega de equipa, Gonçalo Tavares, e 2m21s sobre Lucas Lopes.
António Morgado acabaria por fazer o pleno, ao conquistar as quatro camisolas na 15.ª Volta a Portugal de Juniores – classificação geral, montanha, pontos e a de melhor júnior de primeiro ano. A sua equipa, a Bairrada, conquistou a geral por equipas.
Photo © João Fonseca Photographer

 

Photo © João Fonseca Photographer

 

Jf1 0455

 

Reportagem Localvisão TV, do Sarau Cultural e Baile Oitocentista

Reportagem Localvisão TV, do Sarau Cultural e Baile Oitocentista, realizado no Picadeiro D’el Rey, inserido na Evocação Histórica do Cerco de Almeida 2021.

 

Reportagem Localvisão Tv, do Seminário Internacional “Arquitetura Abaluartada e Património UNESCO”

Reportagem Localvisão Tv, do Seminário Internacional “Arquitetura Abaluartada e Património UNESCO”, realizado no CEAMA, inserido na Evocação Histórica do Cerco de Almeida 2021

 

Respire Saúde nas Termas de Almeida

Um Espaço Para Toda a Família.

“Companhia de Artífices”

“Companhia de Artífices”, designação aplicada ao conjunto dos estudantes e mestres que, trabalhando no “Laboratorio Chimico”, sob a direcção do lente de Química Tomé Rodrigues Sobral, se ocuparam, exclusivamente, da produção de munições. Para a constituição deste pequeno arsenal de guerra muito contribuíram outras figuras de destaque no meio académico, especialmente, Manuel José Barjona, lente substituto da Faculdade de Filosofia, José Freitas Guimarães, Joaquim Franco da Silva e Joaquim Batista, todos eles formados em Filosofia.

No “Laboratorio Chimico”, os almofarizes de pedra foram adaptados à produção de pólvora. Diariamente, afluíam ao laboratório carregamentos de carvão para a fundição de balas e produção de artifícios de guerra.

Segundo informa o Suplemento da Minerva Lusitana, de 3 de Dezembro de 1808, em pouco mais de três meses, entre 27 de Junho e 30 de Setembro, saíram do laboratório perto de uma tonelada de cartuchame e cerca de100 arrobas de pólvora. Em média, eram produzidos e encaixotados diariamente, 6000 a 7000 cartuxos. Sob a direcção de Bonifácio de Andrada e Silva, lente de Metalurgia e Intendente Geral de Minas e Metais do Reino, as ferrarias de Tomar e da Foz do Alge cooperaram, também, na fundição de ferro e na reparação de armas e utensílios.

 

– Araújo, Ana Cristina, Imprensa da Universidade de Coimbra URL:http://hdl.handle.net/10316.2/41508

– Ovídio Saraiva de Carvalho e Silva, O Patriotismo Académico…, cit., p. 77

Facebook 1629302044150 6833788080993358679

 

Recordamos o “O COMBATE DO CÔA – 24 DE JULHO DE 1810

A DIVISÃO DE INFANTARIA LIGEIRA NO INÍCIO DA INVASÃO DE MASSENA”
Quando o marechal Massena, em Julho de 1810, começou a sua invasão de Portugal, encontrou logo pela frente uma formação do exército Anglo-Português de Wellington disposta num esporão de terreno que da fortaleza de Almeida se prolonga para sudeste até às proximidades da aldeia de Junça, com o rio Côa a retaguarda. Essa formação apresentava uma inovação tática para a época, pois era uma divisão inteiramente composta de unidades de infantaria e cavalaria ligeiras, explorando a sua grande mobilidade no terreno, dotada de armas de tiro preciso e de longo alcance (carabinas de cano estriado ou rifles) em que a constante descentralização de comando e ação confiava na capacidade de iniciativa e combate individual de sub-unidades treinadas nesse sentido. Era composta por batalhões dos Regimentos 48.° e 51.° de infantaria ligeira e o 95.° Rifles britânicos, Caçadores 1.° e 3.° portugueses, sendo a cavalaria ligeira representada pelos 1.° de Hussardos da King´s German Legion, alemão, e os 14.° e 16.° Regimentos de Dragões Ligeiros britânicos incluindo uma bateria de cavalaria volante ou a cavalo (Royal Horse Artillery) britânica. Comandada pelo lendário general Robert Craufurd, esta divisão virá a travar o primeiro combate de resistência aliada aos franceses em ações de grande mobilidade táctica na Guerra Peninsular.

Referência: Santo, Espírito Gabriel; “O COMBATE DO CÔA 24 DE JULHO DE 1810 A DIVISÃO DE INFANTARIA LIGEIRA NO INÍCIO DA INVASÃO DE MASSENA”; Tribuna da História – Edição de Livros e Revistas, Unipessoal Lda

Fb Img 1629298878344

 

Fb Img 1629298874617

 

Fb Img 1629294800257

 

Mulheres no Exército: Cantineiras e lavadeiras

Os primeiros exércitos franceses saídos da revolução tanto incorporavam homens como mulheres. Era o espírito patriótico de A Marselhesa, como «os filhos da pátria» a «formarem os batalhões», cujos «aguerridos soldados» eram cidadãos dos dois sexos. A partir de 1793, começavam a ser publicadas leis restringindo a obrigação de combater aos homens. Ainda que algumas heroínas, assumindo ou não abertamente a sua condição de mulheres, fiquem nas fileiras, a maior parte é afastada das tropas. Ficam apenas as lavadeiras e cantineiras, as primeiras à razão de quatro por batalhão e as segundas «de acordo com o que parecer necessário aos comandantes».

Estas mulheres desembaraçadas vão acompanhar os exércitos por toda a Europa, partilhando os seus momentos bons e maus, marchando e dormindo á chuva, quando fosse o caso. Usavam chapéus de aba larga para as proteger do sol e da chuva, saias compridas, botas e casacões. Geralmente tinham tido artes de arranjar um ou mais cavalos ou mulas para lhes levar os pertences. Sabiam fazer-se respeitar num mundo de homens e não hesitavam em berrar aos recalcitrantes: «As putas é do lado de fora do quartel!» A tasca das cantineiras, onde se servia álcool, era local de confraternização e de bebedeira, mas não antro de vicio. Algumas destas mulheres revelaram debaixo de fogo qualidades que nem todos os soldados tiveram: umas serviam aguardente no meio dos bombardeamentos e levavam munições aos postos avançados; outras, como a cozinheira do general Simon, no Buçaco, não hesitavam em meter-se no meio dos combates para ir acudir a um ferido.

 

Fb Img 1629294069679

Fb Img 1629294069679

Desconto de 50% em todas as publicações do Município!

Válido em todos os pontos de venda, Biblioteca MMNR, Museu H. Militar, Centro de Estudos de Arquitetura Militar de Almeida e Turismo de Almeida. Estes descontos só são válidos para as publicações com menos de 18 meses de edição.

Ó Maria, vem que os franceses já abalaram

Quando consultamos os autores do Fundo Local da nossa Biblioteca Municipal, vamos encontrando amiúde alguns testemunhos que foram sobrevivendo de geração em geração acerca da passagem dos franceses nas Guerras Peninsulares, por estas terras raianas. Esta expressão, segundo José Mateus Cardoso utiliza-se ainda em Porto de Ovelha rememorando os episódios em que a população, quando prevista a aproximação das tropas inimigas, abandonou as suas casas e pertences para se refugiar nos campos, em sítios altos, ermos e de difícil acesso, diz o autor: “segunda consta, a expressão imitando o português dos pontos altos dos montes, utilizava-se para atrair as jovens que estavam escondidas, pretendendo assim fazer crer que eram pessoas da terra que as chamavam”

Bibliografia:

Cardoso, José Mateus / “História e Histórias de Porto de Ovelha”. – Tipografia-Escola Associação Deficientes das Forças Armadas,  1991. –  pg.69

O autor deixa-nos ainda, no seu livro “História e Histórias de Porto de Ovelha” interessantes passagens citadas do livro “A vida e viagens de José Matias, cirurgião de Beith, natural de Portugal”, cujo autor nasceu em Porto de Ovelha em 1795 e ele próprio viveu os acontecimentos dessa época: “…naquela altura os habitantes tinham de se refugiar nas rochas, florestas e montanhas e eu era um deles. (…) no dia 25 de Março os franceses voltaram á aldeia e lavaram tudo o que podiam abarcar nas suas mãos. Na tarde desse dia, alguns habitantes vieram á povoação, entre os quais eu próprio, com o fim de fechar bem as portas e verificar se tinham lançado fogo nalguma casa. Nessa tarde, encontrámos um soldado francês saindo de uma casa. Fizemo-lo prisioneiro, mas não sabíamos o que fazer com ele, porque não tínhamos onde guardá-lo com segurança. Então acordámos em o levar para os arredores da aldeia, onde existia uma rocha com a altura de 30 a 40 pés, e daí foi derrubado, caindo entre outras rochas onde encontrou a morte. (…) Ao assistir a este espetáculo o meu coração de uma maneira tão lamentável, não ele próprio ( que ser um inimigo), mas pela mãe que o trouxe ao mundo (Cardoso: 1991, 69)

O território do concelho de Almeida é fértil em testemunhos que evocam a passagem dos franceses em 1810/1811, hoje descobrimos um, que a tradição oral advoga ter sido um esconderijo dos civis que fugiam aos horrores da Guerra.

Seguidamente à travessia do Côa, a Lapa Escura constitui-se como rochedos de grandes dimensões, em que um consiste numa fenda profunda que os habitantes utilizavam para se esconder dos franceses nas conturbadas guerras peninsulares. De elevado valor simbólico pelo significado, esta fenda natural faz-nos antever a aflição dos civis que procuravam sítios, ainda que de difícil acesso, como é o caso deste, para se manterem a salvo da carnificina que uma qualquer guerra provoca.

Percurso De Almeida á Lapa Escura

Percurso De Almeida á Lapa Escura

 

Eduardo Lourenço é o grande homenageado da Primeira Caravana Literária, que parte carregada de poesia e pensamento

Projeto itinerante surge no âmbito da candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura em 2027 e é dedicado ao filósofo e ensaísta Eduardo Lourenço. Uma homenagem ao gigante português do pensamento que será protagonizada por poetas, pensadores, escritores e pela voz da poesia, em colaboração com músicos e atores. Do alinhamento constam ainda testemunhos e três conferências sobre a poesia na contemporaneidade e os concertos de Sérgio Godinho e o Rap Global por MAZE e Boaventura de Sousa Santos.

Os municípios da Guarda, Almeida e Foz Côa promovem, de 3 a 5 de setembro, a primeira Caravana Literária – Festa da Literatura e do Pensamento. A iniciativa, que se realiza no âmbito da candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura em 2027, é um projeto itinerante dedicado, anualmente, à figura e obra de um autor consagrado com ligação aos concelhos que integram a candidatura.

Para a primeira edição a escolha foi imediata, e recaiu sobre um homem da terra, um grande pensador de Portugal e da Europa, desaparecido no ano passado. A figura e o pensamento de Eduardo Lourenço serão transversais aos três dias da Caravana Literária, nesta homenagem que arranca na sexta feira, dia 3 de setembro, na Guarda, viaja até Almeida no segundo dia, 4 de setembro, e termina, domingo, dia 5, em Foz Côa.

Com um programa recheado, onde se incluem debates, tertúlias e performances poéticas, destacam-se os momentos mais simbólicos desta Caravana Literária, onde a poesia vai ser dita por poetas, atores e músicos. Haverá sempre música ao final da tarde, em cada uma das localidades.

“Esta será a primeira grande homenagem a Eduardo Lourenço, integrada neste projeto, e aquela que versará sobre a importância da poesia na obra ensaística do autor. A ideia principal é relevar a relação que se pode estabelecer entre a obra de um grande pensador e a sua reflexão sobre a poesia e os poetas. Queremos, com esta iniciativa, assinalar este eixo menos divulgado da obra de Eduardo Lourenço, para além dos dois grandes eixos mais conhecidos que são a Europa e a Cultura Portuguesa”, sublinha Jorge Maximino, curador do projeto cultural.

Para o primeiro dia do evento, na Guarda, estão previstos vários momentos culturais, dos quais destacamos: a realização da Mesa-redonda: Mitos da Europa e poéticas da modernidade, com a participação de Nuno Júdice, António Carlos Cortez, Rosa Oliveira e moderação de João Rasteiro. Segue-se, à tarde, uma Performance poética, com textos de Camões, Pessoa e Sophia. A primeira conferência do evento está marcada para as 16h00 e versará sobre “A paisagem equatoriana na poesia de João Cabral de Melo Neto”.

O primeiro dia da Caravana Literária encerra com um concerto de Sérgio Godinho.

Dia 4, sábado, a caravana ruma até Almeida, sede do concelho da terra natal de Eduardo Lourenço (S. Pedro de Rio Seco), para um dia preenchido com diversas iniciativas de homenagem. Destacamos a inauguração do painel evocativo ao poeta e ensaísta pela mão da artista Graça Morais e a cerimónia de inauguração do Largo Eduardo Lourenço. Neste dia, e para além da habitual conferência com o tema “Poesia: imaginar é possível. (Notas sobre a poesia hoje.)”, há lugar a vários momentos musicais e performances poéticas que marcarão o ritmo e a intensidade com que as gentes de Almeida querem homenagear o grande pensador.

A primeira edição da Caravana Literária termina no domingo, dia 5, em Foz Côa, onde terá lugar a última conferência com o tema: “Eduardo Lourenço leitor de poesia”. Será também realizada uma Leitura homenagem pelos poetas. A primeira edição da Caravana literária encerra com um concerto Rap Global por MAZE e Boaventura de Sousa Santos.

A Caravana Literária é um projeto mais amplo e que não se esgota na candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura em 2027. O objetivo é o de envolver os 17 municípios que integram o projeto num núcleo intermunicipal de cooperação em iniciativas de âmbito cultural.

Consulte aqui ​o programa da iniciativa.

https://caravanaliteraria.com/

 

Links de notícias já publicadas sobre a Caravana Literária.

Exposição Temporária de Playmobil “O Cerco de Almeida, 1810”

Ainda não visitaste esta exposição incrível?
Nesta exposição temporária evidenciam-se momentos deste episódio histórico e de forma muito divertida apreendem-se os vários cenários descritos: o ataque à Praça evidenciado no Baluarte, os empenhados defensores lusos empunhando mosquetes de baioneta, a azáfama do hospital de campanha, a reunião de Generais e a rendição da Praça e as nefastas consequências dos incêndios e destruições provocadas pela explosão do paiol principal. Os pequenos bonecos personalizados de 17 cm parecem assim ganhar vida criando uma história autêntica e legível para adultos e crianças no diorama apresentado.
Não perca esta oportunidade!

Venha visitar-nos na sua Biblioteca Municipal Maria Natércia Ruivo!